images (3)

“Gravidez não é doença! ” Ouvi muito isso quando começava com os meus… “será que grávida pode?” De fato não é uma doença mas uma época de cuidados. Cuidados com quem gera e com quem está sendo gerado.

Viagem de Carro

download (2)

Viagens de carro não tem muitos segredos.

  • A primeira dica é parar mais vezes que o de costume para esticar as pernas e para fazer xixi. Muito tempo com a perna dobrada pode causar inchaço dos pés e tornozelos e cãibra nas pernas, por isso estimule a circulação sanguínea fazendo paradas a cada, pelo menos, 90 minutos.
  • Quando a barriga estiver grande procure não dirigir e nem fazer viagens longas demais.
  • Se ocorrer alguma batida, independentemente do tempo de gestação e da gravidade do acidente, consulte um médico! Segundo o Baby Center:

Embora o útero proteja o bebê e a placenta durante um impacto repentino, colisões podem acabar separando a placenta do útero — uma condição conhecida como descolamento. Essa separação pode ser parcial ou total e levar a uma hemorragia, parto prematuro e até aborto espontâneo (muitas mulheres nem chegam a notar sintomas).

  • E a ultima dica, mas não menos importante, é a posição correta do cinto de segurança

cinto_gravidas
Viagem de Avião

images (2)

A menos que você tenha alguma complicação, viagens de avião são super tranquilas até a 26ª semana . O ideal é entre a 14ª e 26ª semana pois os enjoos não são mais tão frequentes e o risco de abortos espontâneos são menores. 

A partir da 27ª semana* para gestação única e 25ª para gestação gemelar* as cias. aéreas começam a fazer algumas exigências como:

  • Preenchimento de uma Declaração de Responsabilidade ou MEDIF (Formulário de solicitações médicas à cia. Por vezes as cias exigem que este formulário seja preenchido com até 72h antes ao embarque para análise de permissão de embarque)
  • Atestado médico que autorize a viagem aérea. O atestado médico, para ter validade, deve ser feito, no máximo, até uma semana antes do embarque. E, mesmo com autorização médica, não é recomendável a viagem sete dias antes ou sete dias depois do parto. Para voos internacionais o atestado deve ter a via original no idioma do cliente e deve ser traduzido de forma juramentada para o idioma dos países de origem e destino.
  • Acompanhamento do obstetra na viagem a partir da 36ª semana*

* em média, algumas companhias solicitam semanas antes e outras depois.

 A partir da 40ª semana normalmente as cias aéreas não aceitam o embarque de gestante. Se for imprescindível o embarque deve ser feito em um avião UTI.

O tempo de gravidez é considerado na data de embarque e não na data de reserva ou compra da passagem.

Para uma viagem melhor:

  • Reserve um lugar no corredor para facilitar as frequentes idas ao banheiro e para que possa caminhar sem ter que incomodar ninguém. Se a aeronave tiver assentos mais largos, prefira-os!
  •  Mantenha sempre o cinto de segurança afivelado embaixo da barriga, e beba bastante água para conter os efeitos desidratantes do ar seco do avião.
  • Procure embarcar com meia elástica para evitar as tão temidas varizes.
  • Estimule a circulação sanguínea andando o mais que puder pelo avião, mais ou menos a cada hora (sente-se, contudo, ao primeiro sinal de turbulência). Ou, faça exercícios sentada como os da imagem abaixo:

health2
Viagem de Barco ou Navio

download (3)

Dificilmente um navio permitirá o embarque de uma mulher grávida de mais de 23 semanas. As empresas que operam cruzeiros têm restrições para grávidas, mais rígidas até que as companhias aéreas.  Como as restrições mudam muito de empresa para empresa, informe-se direitinho antes de comprar um pacote desse tipo. Veja as dicas do Baby Center:

  • Leve uma carta do seu médico com seu tempo de gestação, os medicamentos que você toma e outras informações que ele considerar necessárias. Assim você evita surpresas desagradáveis na hora do embarque.

  • Se você está sofrendo com o enjoo, o movimento da água pode agravar sua situação, portanto pense bem se a viagem vale a pena, principalmente se você for daquelas que tem tendência a enjoar quando em movimento (mesmo antes da gravidez). Navios maiores balançam menos. Na hora de marcar a cabine, você pode pedir uma que fique no meio do navio, mais ou menos na linha d’água, para minimizar o balanço. 

  • Na hora de reservar a cabine de um navio de cruzeiro, prefira, se possível, cama de casal (se for queen, melhor ainda). Camas de solteiro no navio tendem a ser estreitas e desconfortáveis. 

  • Passe a maior parte do tempo possível no convés. Se começar a ficar nauseada, fixe o olhar na linha do horizonte, ou em alguma coisa que esteja fora do barco. Faça lanches frequentes, comendo coisas não-gordurosas e secas, como pãezinhos e bolachas, para não deixar o estômago vazio.

Viagens de algumas horas em outros tipos de embarcação (como escunas, balsas) são permitidas, mas verifique se o colete salva-vidas cabe, e pense na possibilidade de sofrer com o enjoo. Lembre-se também de que grávidas ficam com o senso de equilíbrio prejudicado, por isso o risco de quedas é maior. Procure não circular muito pela embarcação se as águas estiverem agitadas.

Mesmo depois deste “banho de mar gelado” uma viagens de navio pode ser muito bem aproveitada em um cruzeiro temático com exercícios de yoga e alongamento especiais para gestantes. Sem contar que muitas mulheres não sentem absolutamente nada de enjoo, tonturas entre outros desconfortos e as permitem fazer “tudo” que quiserem. Incluindo neste pacote uma bela viagem num cruzeiro. 

Quando grávida fiz os três tipos de viagem:

De carro fui de João Pessoa a Campina Grande paramos duas vezes no caminho mas foi super tranquilo. Fiquei apenas com os pés inchados mas nada muito grave;

De avião fui a São Paulo, onde fiz o chá de bebê da minha filha. Nesta achei que teria mais problemas mas meu único desconforto foi o mesmo de sempre… sinusite, que nada tinha a ver com minha gravidez. Portanto no quesito viagem x gravida  a nota foi 10.

Agora nota 10 mesmo sem sinusite, pé inchado ou qualquer outra chatice foi minha viagem náutica: Travessia de balsa de Cabedelo (risos) . Essa sim foi tranquila!

Bem… espero ter ajudado as gravidinhas de plantão. Finalizo com duas boas dicas independente de seu tipo:

  1. Converse sempre com seu médico quando tiver a intensão de viajar. Ele saberá lhe informar quais remédios poderá utilizar e se você realmente pode fazer esta viagem;
  2. Consulte as regras de cada empresa rodoviária, aérea ou aquaviário para não ter desprazeres no início de sua viagem.

images

Paulistana de nascimento, Paraibana de coração. Casada há pouco e “amigada” a muito, mãe da Giulia minha pequena joia e do Dachshund Tiko nosso mascote . Formada em turismo segui minha carreira na aviação por 8 anos. Depois de um marido, um cachorro e um bebe (chegando em minha vida nesta ordem..rs..) procurei algo que pudesse ainda conciliar com a função mãe e dona de casa. Para isso me tornei franqueada da Portal Travel e assim vendo sonhos e felicidade procurando sempre oferecer a todas as famílias o que desejo pra minha.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *