Quem acompanha o blog já viu que dei dicas de como fazer as malas para viajar em família aqui e aqui. Mas viajar com crianças crescidas e bebês é totalmente diferente! Crianças já tem um pouco de autonomia, e bebês precisam de maiores cuidados – e mais utensílios na hora de viajar.

Fraldas descartáveis: Parece óbvio, mas calma que tenho um ponto. Quando vamos viajar, temos o costume de levar uma quantidade reduzida de fraldas, pois elas tomam muito espaço na mala. Mas já parou pra pensar que o destino da viagem pode não ter aquela marca que seu filho se dá bem, ou que pode não encontrar o tamanho correto? É sempre bom analisar a situação, se for um lugar com poucas opções de compra, coloca uma quantidade de segurança.

Babadores: Quando a criança precisa se alimentar no carro, parece que adivinha e se suja bem mais, né? Um babador é uma mão na roda em situações assim! Os modelos de plástico são melhores para viagens, pois são mais fáceis de limpar.

Mamadeiras: Bebês sentem e estranham a mudança de ambiente, é recomendado levar a mamadeira que já usa em casa e está acostumado. É bom mais de uma, tanto para que tenha uma para leite e outra para água ou suco, como para ter uma de reserva caso não haja lugar ou tempo para lavar.

Chupetas: Sim, plural! O bebê tem um consolo muito grande na sua chupeta. Se por ventura essa chupeta cair num lugar muito sujo e não tiver como lavar, ou se ela se perder, não ter uma segunda para aliviar a angústia vai tornar o momento da viagem tenso até conseguir outra.

Copinho: Especialmente se o bebê está em fase de desmame ou introdução alimentar. Ninguém vai querer viajar desprevenido com um bebê que pode recusar uma frutinha amassada e mamadeiras sem ter um copinho pra oferecer sucos, água e leites.

Talheres: Indispensável. O bebê tem a boca pequena e o organismo sensível, talheres de hotéis e restaurantes não são adequados para essa idade.

Pratinho com tampa: O pratinho do bebê nos dá um norte em relação à quantidade que ele está ingerindo. Numa viagem, a tampa é essencial, pois muitas vezes a criança não faz a refeição completa de uma vez.

Bolsa térmica pequena: O bebê tava estressado ou enjoadinho e não comeu de imediato. A bolsa térmica mantém o alimento aquecido ou resfriado e saudável para ser re-oferecido um tempinho depois.

Manta: Em lugares frios, para reforçar a camada de roupas. E ainda pode servir no calor, para deitar a criança em algum lugar, seja para trocar a fralda ou deixá-la brincando.

Carrinho, canguru e sling: Estar com bebê no braço o tempo todo é cansativo. Então ter essas opções disponíveis são um alívio. Existem modelos de carrinhos que fecham inteiro (peça única), são mais fáceis de abrir e fechar, de despachar, de guardar. Há atrações em que o carrinho não entra, então, ter o bebê preso ao seu corpo com canguru ou sling pode ser uma boa.

Banheira inflável: Não toma espaço na mala e oferece uma segurança a mais na hora do banho. Em destino de praia ainda pode servir como piscininha.

Berço: Muitos hotéis colocam aqueles berços desmontáveis quando a gente fala que está com bebê, mas é bom se informar antes. Caso o hotel não tenha esse serviço, um berço que monta e desmonta é muito útil numa viagem mais longa.

Bom, espero que com a combinação dos três posts, vocês consigam fazer uma mala perfeita pras viagens de férias! Se você lembrou de alguma outra coisa, deixa a sugestão nos comentários.

Boas viagens!

 

Formada em Nutrição, divide o tempo de trabalho entre a clínica, alimentação escolar e fotografia! É mãe de um super herói, blogueira desde a adolescência, meio nerd, adora música, moda, séries e filmes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *