Para quem quer realmente seu parto natural humanizado, ou seu parto humanizado seja lá como for, vivendo o processo como protagonista da sua própria vida que se prepare – começou a temporada de caça às doulas. O CREMERJ (de novo) deliberou através da RESOLUÇÃO CREMERJ N. 266/12, que considera – de maneira enviesada – artigos do Estatuto da Criança e do Adolescente, resoluções do Conselho Federal de Medicina, Código de Ética, legislação e simplesmente  ignorou o resto do mundo.

“Art. 1º É vedada a participação de pessoas não habilitadas e/ou de profissões não reconhecidas na área da saúde durante e após a realização do parto, em ambiente hospitalar, ressalvados os acompanhantes legais.

Parágrafo único. Estão incluídas nesta proibição as chamadas “doulas”, “obstetrizes”, “parteiras”, etc.”

Como minha doula, que é fisioterapeuta, foi igualmente impedida de me acompanhar no bloco cirúrgico (não tem sala de parto na CLIM em João Pessoa), pergunto se o necessário é somente que se faça um curso da área de saúde?

A Organização Mundial da Saúde reconhece os benefícios da presença dessa acompanhante, o Ministério da Saúde recomenda sua presença e o CREMERJ proíbe?

O parto agora é ato médico? É o quê?

Contribuição do leitor. Saiba como participar do blog: http://www.maedoano.com.br/participe-do-blog/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *