bucho

“Ser mãe é padecer no paraíso”. Quem nunca escutou essa frase? E quem nunca lembrou dela enquanto velava durante a noite, o sono leve de um filho doente? Pois é, ser mãe não é só flores, só sorrisos, só alegrias. Ser mãe também é padecer, sofrer!

 A mãe começa a sofrer na gravidez, com enjôos, azia, corpo mudando, variação de humor, aumento de peso e pressão, inchaço, contração de acomodação, contração para o parto. Depois que o bebê nasce: sofre com sono, cansaço, dores no seio… Alguns meses depois: onde o bebê vai ficar para a volta ao trabalho, e depois qual a melhor escola? E o professor? E os amiguinhos da escola? E isso nunca acaba.

maroca e eu

Nós doamos o corpo e todos nossos órgãos para trabalhar dobrado em prol de um serzinho. Ele vai usar nosso corpo de morada e nosso seio de alimento. Tem coisa mais linda e poética? Não é só a pele da barriga que estica, mas quando ele nasce nossa pele continua tendo dimensões maiores. Nossa pele é dividida, mas ainda guardamos a sensibilidade dela. Sentimos tudo que toca a pele dele como se fosse em nós mesmas, como se nunca houvesse sido dividida. Se aquela pele é cortada, nós é que sangramos. Ser mãe é isso, sentir as mesmas dores do filho. Ser mãe é não só viver de alegrias e felicidade, mas de solavancos de sustos, medos e tristeza. Não falo relacionado ao ato de ser mãe, que é a melhor coisa do mundo, mas ao mal-estar de um filho e as preocupações que eles trazem.

A visão do paraíso é algo sempre associado à felicidade extrema, ausência de dores, passeios de mãos dadas, com roupas claras, coral de anjos tocando harpas baixinho, sombra, crianças correndo, sorrindo e felizes. Mas, quando uma dessas crianças adoece, há sofrimento até mesmo no paraíso. Você mesmo em meio à visão que é ser mãe (viver no paraíso), você sofre e se cobra, e pede para trocar de lugar com seu pequeno para que ele não sinta qualquer desconforto. Ou seja, ser mãe é viver no paraíso, se seu filho estive bem e saudável, quando algo foge disso, já nem  importa mais com o paraíso, só a felicidade e bem-estar do seu pequeno.

Sinceramente acho que essa frase não tem muito sentido, pois, padecer e paraíso não combinam, ou pelo menos, não deveriam, mas dentro do contexto: maternidade e todo o que envolve esse universo, tem tudo a ver. Depois que fui mãe mergulhei no sentido dessa frase.

Assistente social formada pela UFPB, ama sua profissão, mas tem outras paixões e escrever é uma delas. Por isso, cursou Letras até o sétimo período, mas parou quando Maria Paula nasceu e se viu renascendo como gente, como ser vivente.
É casada, trabalha, estuda e é mãe apaixonada.
Ama poemizar a vida, transformar sentimentos em palavras e é melhor escrevendo que falando.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *