Acolhimento Oficina Escola de João Pessoa

A Oficina-Escola de Revitalização do Patrimônio Cultura de João Pessoa recebeu na manhã de hoje (25) 19 jovens, para participarem, pela primeira vez, dos cursos oferecido pela instituição com várias atividades lúdicas e integradoras. “Esse é o primeiro momento que esses jovens tem contato com a Oficina-Escola para preenchimento das vagas remanescentes da turma que começou no início do ano. Nós preparamos um momento de acolhimento, para que eles conheçam nosso espaço e entenderem o funcionamento do local”, falou Rouse Duarte, coordenadora pedagógica.

São jovens que estão matriculados no programa de Educação de Jovens e Adultos, ou seja, estudando a noite, já que os ofícios ministrados pela instituição é das 7h da manhã até as 17h, com intervalo para almoço, fornecido pelo Governo do Estado. “São oferecidos duas refeições para os alunos, o café da manhã e o almoço, para que eles possam aproveitar a oportunidade ao máximo. Eles também recebem uma bolsa no valor de R$ 500, vale transporte, além do certificado na conclusão do curso”, ressaltou a coordenadora.

As aulas terão início no dia 1 de outubro e os jovens irão passar num processo de vivência pelos ofícios de Alvenaria, Serralharia, Marcenaria juntamente com Carpintaria e Jardinagem. Só depois de uma semana em cada ofício, uma avaliação pedagógica encaminha cada aluno para o ofício que se destacaram.

“No início a timidez e o medo de se expor foram minhas principais barreiras, mas com o tempo fui expandindo meus conhecimentos e hoje sou outra pessoa”, disse o ex aluno, Jonathan Dias, que ingressou na instituição em 2009, por convite de um amigo e depois de 3520 horas de aula, saiu outra pessoa.

Já para Carlos Filho, de 20 anos, que mora no bairro do Padre Zé, o acolhimento foi importante para conhecer melhor o local e que ali, será um espaço de aprendizagem. “Eu já conhecia a Oficina por causa de amigos que estão nela, mas por estudar e trabalhar, não tive a oportunidade. Agora seguirei no ofício da marcenaria e quero colaborar na manutenção do patrimônio histórico da cidade”, falou.

Para a assistente pedagógica Andrea Paes, é preciso que a sociedade entenda o papel da Oficina-Escola, porque não só resgata o patrimônio histórico da cidade, mas também o ser humano que está ocioso e precisa de uma oportunidade. “São jovens que entram com pouca expectativa e saem cheios de objetivos, mas precisamos de vivência de campo para que eles (os alunos) pratiquem, infelizmente essa demanda está escassa, já que 70% do curso é prático”, lamentou.

Mais do que profissionais, a instituição busca formar cidadãos e cidadãs, transmitindo valores sociais e resgatando dignidade, mas que após o encerramento de parcerias importantes, a Oficina-Escola busca se manter, já que é a única na grande João Pessoa que resiste ao tempo e aos desafios financeiros. “Somos os únicos do programa de Escuelas Taller da Íbero América, do Governo Espanhol. Precisamos manter a chama acessa para que esses jovens não fiquem desamparados, para isso contamos com os convites para restauros de prédios históricos da nossa cidade”, destacou Sônia Borges, coordenadora financeira.

Mãe de Aécio e esposa de Renato, publicitária, especialista em Criação Visual e Multimídia, trabalha com marketing e comunicação e, além do Mãe do Ano, é responsável pelo Roteiro Baby JP, que divulga a programação infantil de João Pessoa, é presidente da Associação das Mulheres empreendedoras da Paraíba, tem uma banda de músicas infantis – a Catavento Colorido – e desenvolve atividades para crianças através da Colmeia Projetos Criativos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *