Captura de Tela 2015-12-13 às 14.14.26

Nutricionista dá dicas de como os pais podem oferecer uma alimentação saudável em casa e evitar o problema

Quase todos conhecem as alarmantes estatísticas. A obesidade infantil é, sem dúvidas, um dos grandes desafios quando se fala em questões de saúde pública, ainda mais se considerarmos as altas taxas das últimas décadas. Segundo a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), do IBGE, em 2009, uma em cada três crianças de 5 a 9 anos estavam acima do peso. Em 20 anos, a obesidade nos meninos, nessa faixa etária, passou de 4,1% para 16,6% e entre as meninas de 2,4% para 11,8%.
.
As causas são variadas. A obesidade pode envolver desde questões genéticas, ambientais, comportamentais, metabólicas e até econômicas. A principal delas, porém, costuma ser o desequilíbrio entre o consumo de alimentos e o gasto de calorias, decorrente das mudanças no estilo de vida e dos hábitos alimentares.

Esse problema é recente. Nos últimos anos, houve um aumento expressivo do consumo de alimentos altamente calóricos e pouco saudáveis, ricos em gordura, sal e açúcar e com baixas quantidades de vitaminas, minerais e fibras. Muitos, inclusive, industrializados. Ao mesmo tempo, as atividades sedentárias, como assistir TV, ficar no computador, videogame ou celular, passaram a ocupar boa parte do tempo das crianças, em detrimento das atividades físicas. “O consumo desses produtos de altas calorias e a falta de compensação em atividades saudáveis ao corpo pelas crianças, está contribuindo para uma situação quase epidêmica de obesidade da infância”, diz Ligia Parreira, professora de Nutrição da Universidade Anhanguera de São Paulo, unidade Santo André.

Essa mudança na rotina e a alimentação das crianças em padrões não tão saudáveis, acaba levando a um acúmulo de energia no corpo, o que, em dados gerais, reflete no aumento da obesidade nessa faixa etária. O excesso de gordura corporal está relacionado com o desenvolvimento de outras doenças, como diabetes melitus tipo 2, pressão alta, colesterol alto, doenças cardiovasculares e síndromes metabólicas. “Até alguns anos atrás essas doenças eram mais frequentes em idades mais avançadas, mas atualmente podem ser observadas na faixa etária mais jovem. Este fato é preocupante, pois quando desenvolvidas na infância, essas doenças tendem a persistir na vida adulta”, alerta Lígia.

Enquanto as crianças não aprendem a balancear essa equação de calorias vs. atividades físicas, cabe aos pais uma boa alimentação em casa. Por isso, a nutricionista dá algumas orientações importantes, que podem ser seguidas no dia a dia:

– Comer cinco porções diárias de vegetais (entre verduras, legumes e frutas);
– Preferir alimentos integrais (arroz, pães e massas);
– Consumir diariamente uma porção de feijão e outros grãos;
– Preferir os peixes, cortes magros de carne bovina (alcatra, patinho, coxão mole, coxão duro, lagarto), aves (peito de frango) e lombo suíno;
– Utilizar pouco óleo no cozimento dos alimentos;
– As carnes devem ser grelhadas, cozidas e assadas ao invés de fritas ou a milanesa;
– Retirar toda gordura aparente da carne e a pele do frango;
– Salgadinhos de pacotes, biscoitos recheados, bolos industrializados recheados, refrigerantes, sucos adoçados, balas e doces não devem fazer parte da rotina diária da alimentação. Deixar o consumo desses alimentos para situações eventuais;
– Evitar os molhos com creme de leite, sorvete cremosos, fast-foods, pizza, frios e embutidos (linguiça, salsicha, bacon), queijos amarelos, pães recheados e massa folhada;
– Beber oito copos de água por dia;
– Fracionar a alimentação em 3 refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar) intercaladas por pequenos lanches. Ter horários fixos para as refeições;
– Mastigar bem os alimentos.

Dicas de lanches para as crianças:

– 5 biscoito cream cracker + 1 col de sopa de margarina + 1 garrafinha de Iogurte para beber

– 1 Barra de cereais + 1 fruta + 1 garrafinha de Iogurte para beber

– 2 fatias de pão de forma integral + 1 fatia de queijo minas + 1 fatia de peito de peru + 1 copo de suco de frutas natural sem açúcar

– 1 pedaço médio de bolo simples (sem recheio e sem cobertura) + 1 fruta + 1 garrafinha de Iogurte para beber

– 5 biscoitos doce sem recheio + 1 fruta + 1 garrafinha de Iogurte para beber

– 2 bisnaguinha + 1 colher de sopa de requeijão light + 1 fruta + 1 garrafinha de Iogurte para beber

– ½ xícara de cereal matinal sem açúcar + 1 potinho de iogurte + 1 fruta

– 1 salgado assado (carne/frango/espinafre com ricota) + 1 copo de suco de frutas natural sem açúcar.

Mariana é paraibana, mas vive atualmente em Aveiro - Portugal. Mãe de Aécio e esposa de Renato, publicitária, especialista em Criação Visual e Multimídia, trabalha com marketing, comunicação e eventos. É fundadora do Mãe do Ano e, além dele, é responsável pelo Roteiro Baby Aveiro, que divulga a programação infantil na cidade de Aveiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *