Divine-Relationship-Between-Parents-And-Children

Como é difícil falarmos de valores com uma geração que preza pela liberdade sem limites, rebeldes sem causa e eternos lutadores pela juventude. Não que isso seja negativo, mas acabou deixando de lado a essência da convivência, valores éticos e morais.

Como mostrar o caminho certo ou errado aos nossos filhos?
Como ser um adulto seguro e equilibrado se não se tem a estrutura básica para esse desenvolvimento?

Antes de qualquer “receita”, nós, adultos, devemos recuperar nossos valores. O que a gente considera certo ou errado e o que queremos para nosso filhos?

Após anotar nossas metas, devemos iniciar um trabalho bastante cansativo, mas que, com certeza, nos trará bons e consistentes resultados.
O trabalho de educar nossas crianças para toda a vida.

Alguns pontos são bem importantes para a formação :

– O não, dito com firmeza, sem rispidez e com intuito de alertar! Nunca como solução para tudo!
Muitas vezes, caímos na pegadinha do “Fale não por seu, filho!”, sendo que tem horas que nem é necessário o não, dá pra substituir por uma outra frase. Mas é tão habitual negar as coisas ou situações, que nem percebemos que por muitas e muitas vezes aquele “Não” nem era o adequado. E não digo, NÃO, na sua forma seca e autoritária de ser, me refiro ao NÃO de alerta, orientação.

– Ser o exemplo vale mais que mil textos e orientações. Sim sim, muitas vezes, para não falar sempre, tem como reflexo na sua personalidade, atitudes e formas de seus pais.

– Explique ao seu filho, da forma mais simples possível, que ele não está sendo castigado, mas sim que eles está sofrendo as consequências de uma atitude inadequada. Use exemplos da vida, como se passar no sinal vermelho no transito é multado!

– Não seja a mãe-EAD, ou seja, aquela mãe que sempre tá fazendo alguma coisa e que alerta os filhos à distância, gritando no meio da sala, enquanto os filhos estão no quarto ou não sai do telefone nem pra dá uma bronca. As crianças tem como comunicação, principal, a visual, quando olhadas nos olhos elas tendem a parar um pouco, mesmo que estejam eufóricas.
Agache ao falar com eles, para ficar na mesma estatura, ajuda e eles TENTAM prestar atenção.

– A pior forma de se educar uma criança, é aquela em que se faz o uso da violência  seja ela verbal ou física. VIOLÊNCIA SÓ GERA MAIS VIOLÊNCIA. A educação de crianças baseadas em amor, compreensão e diálogo geram cidadãos capazes de amar e respeitar ao próximo e capazes de ter empatia e compaixão. (Esse tema ainda será um post muito necessário)

– Reserve um tempo para conversar com seus filhos, mesmo que seja 5 minutos. Isso ajuda a fortalecer a confiança e os laços entre vocês.

–  Seja a líder da situação. Não autoritária. Ser líder é dominar a situação e levar outras pessoas a te ajudar. Um líder não impõem suas ideias como únicas e verdadeiras. Não adianta usar o seu poder o “ Eu sou a sua mãe então eu tô certa!” ou “ Se eu tô dizendo que é isso, é e ponto final!” .  Não!
É necessário lógica até nas broncas, argumentos certos e verdadeiros.
Só assim seu filho vai aprender a respeitar e respeitará a opinião dos outros.

Todas sabem que não há uma receita pronta para o ato de educar, mas, se a vontade, o amor e a paciência estiverem presentes dentro de casa e cada um tem o compromisso de educar, da forma mais tranquila possível, melhores cidadãos estarão garantidos.

Divide o seu tempo de mãe de um casal com o blog e os projetos dele.
A rotina materna vai além de cuidar dos filhos: lê, pesquisa, analisa, filtra, inventa as melhores maneiras de tornar a vida de mãe mais leve, sem neuras e com muito bom humor!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *