O MILC – Movimento da Infância Livre do Consumismo está vinculando uma campanha muito interessante que levantam questões sobre o que nós, mães, queremos ou/e precisamos.

Através de ilustrações vinculadas em sua página do Facebook que chamou muita a atenção foram os temas abordados:

respeito

Nós mostra que o Dia das Mães precisa ir além de presentes e que precisamos refletir sobre o que as mães mais precisam.
2015-DIA-DAS-MAES

 

A co-fundadora do blog MILC, Mariana Sá posta uma perfeita reflexão:

“Ainda acredito naquele ditado que diz que é preciso toda a aldeia para educar uma criança, mas cada dia que se passa, vejo esta aldeia ser reduzida: famílias menores, escolas piores, comunidades desintegradas, espaços urbanos inseguros, mobilidade urbana ruim, inflexibilidade do trabalho fora de casa, são condições que determinam a maneira como maternamos.

Todos estes problemas somados a uma mídia desrespeitosa que, em suas colunas, reportagens, editoriais e ficções, joga toda a responsabilidade dos males do mundo nas mães, que seriam as responsáveis por uma tal de educação doméstica, supostamente a solução da maioria das quizilas brasileiras, mas que não pauta bem os temas que favoreceriam a educação, a civilidade e a maternidade.”

11150499_861291103944842_4381305813172336561_n 11182215_861290337278252_7749663083050264626_n

Os discursos propostos pelas mães do MILC são completamente plausíveis, como podemos conferir em um trecho da Vanessa Anacleto, também co-fundadora do MILC:

 

“Uma blusa, bolsa, perfume. Muito amor, atenção, apenas a lembrança. Dos bens materiais, que esteja realmente precisando, uma mãe poderá gostar. Dos imateriais, estes sim, ela sempre precisa. Mas, além dos filhos reunidos e próximos, o que mais uma mãe precisa todos os dias?

Falamos das mães, o que elas querem? Falamos destas coisas que não cabem numa caixa, que não pode ser pagas com cartão de crédito em várias parcelas, que são esquecidas num canto de armário e não são descartáveis? O quê?

Antes de serem mães, muitas mulheres desejam poder decidir quando e se terão filhos sem serem julgadas. Mulheres sem filhos ou que adiam a prole pela profissão ou qualquer outro motivo, não são seres egoístas que negaram uma missão divina.”

Não tem como não se identificar!
Por isso, compartilhei com vocês essa campanha é valiosa, com causas necessárias para a nossa sociedade.

Vocês podem acompanhar o MILC na pagina no Facebook:
https://www.facebook.com/InfanciaLivredeConsumismo?fref=ts

E conferir os posts completos, dos trechos retirados nos blog MILC:
http://milc.net.br/2014/05/maes-precisam/#.VU0DEY64Rdg

11206087_861291083944844_5136590977869522269_n

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

cats

Divide o seu tempo de mãe de um casal com o blog e os projetos dele.
A rotina materna vai além de cuidar dos filhos: lê, pesquisa, analisa, filtra, inventa as melhores maneiras de tornar a vida de mãe mais leve, sem neuras e com muito bom humor!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *