A hipertensão arterial está no topo dos fatores de risco para doenças cardiovasculares. A doença é diretamente relacionada ao maior impacto na mortalidade da população mundial – são 10 milhões de mortes por ano atribuídas à doença. A falta de cuidado que a maioria da população tem com a pressão arterial acontece principalmente pela doença não apresentar sintomas – e assim, não receber a devida atenção. 30% a 35% da população mundial é hipertensa, mas metade não sabe disso.

A Associação Americana do Coração e o Colégio Americano de Cardiologia atualizaram os limites considerados normais para a pressão arterial. Agora, a “pressão boa” é aquela abaixo do conhecido 120×80. Pela diretriz nova, uma pessoa com essa marca já apresentaria uma pressão arterial considerada elevada e, se chegar à marca de 130×80, é hipertensa.

Para muitos pesquisadores (e médicos), já é uma realidade apostar em valores menores do que 12 por 8 como pressão ideal, considerando o envelhecimento da população e também os maus hábitos da vida moderna, como sedentarismo e consumo de alimentos industrializados, riquíssimos em sódio. A recomendação dos médicos é de que, a partir dos 40 anos, a pressão arterial seja avaliada ao menos uma vez por ano.

Existe uma série de eventos que podem alterar a medição da pressão arterial. Então fique atento às recomendações:

  • Não tome café pelo menos 30 minutos antes de fazer o exame. Esse intervalo vale também para a prática de exercícios e o consumo de cigarros e similares.
  • Vá ao banheiro antes de realizar o exame. Bexiga cheia pode alterar os resultados.
  • Fique sentado, em repouso, com os dois pés no chão (nada de pernas cruzadas) por pelo menos cinco minutos antes da aferição.
  • Quando estiver medindo a pressão arterial, mantenha o braço relaxado sobre uma superfície que esteja mais ou menos à altura do coração, as costas apoiadas em um encosto confortável e não fale durante a medição.
  • Repita o processo mais duas vezes, dando um intervalo de dois minutos entre uma medição e outra.

Para prevenir e/ou não agravar a hipertensão:

Sabe-se também que há fatores de risco que podem ser perfeitamente prevenidos, como obesidade, consumo excessivo de álcool, tabagismo, sem falar no excesso de sal na alimentação.

  • Dê preferência a verduras, frutas e legumes crus.
  • Comece as refeições por saladas com folhas verdes.
  • Não faça jejum, nem pule refeições.
  • Faça ao menos 30 minutos de atividade física diária. Atividades que duram menos de 10 minutos não contam, incluem-se aí tarefas domésticas.
  • Não fume.
  • Para as crianças, evite papinhas industrializadas e não acrescente sal à comida, o que já prejudicaria a educação do paladar contra o excesso de sal.

Diante do dado da Anvisa que o remédio mais vendido do Brasil é para hipertensão, acho que é bom seguir aquele velho conselho: melhor prevenir do que remediar.

Informações: Gazeta do Povo.

 

Formada em Nutrição, divide o tempo de trabalho entre a clínica, alimentação escolar e fotografia! É mãe de um super herói, blogueira desde a adolescência, meio nerd, adora música, moda, séries e filmes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *