Nada faz os olhos de Benício, meu filho de cinco anos, brilharem tanto quanto coisas feitas por mim. Ele fica feliz quando ganha presentes comprados, vamos passear ou comer coisas que gosta. Sorri nas terças e quintas ao ser lembrado que é “dia de natação” e pula de alegria quando o deixo fazer algo que pediu. Ainda assim, a frase falada por ele com mais entusiasmo e felicidade é sempre: “foi você que fez, mamãe?”

quadrinhos que fiz para o quarto dos meninos usando papel
quadrinhos que fiz para o quarto dos meninos usando papel

Olhinhos e sorriso fitos em mim, a espera da resposta já sabida: “sim, Bê, eu que fiz”, falo toda boba e orgulhosa, mesmo que não esteja “lá essas coisas”. Uma comidinha improvisada, barraca de lençol, avião de papel. Decoração de festa de aniversário, brigadeiro, capa de herói com as costuras tortas. Sou uma mãe inventora. Talvez seja herança genética, por ser filha de pedagoga, vocação, por ser professora, mas é também vontade. Quero que saibam, os dois meninos (ou quantos mais vierem), que faço tudo por sua felicidade e entendam que esta não depende de comprarmos algo novo. Tempo junto e criatividade valem ouro.

As opções de consumo são muitas e a publicidade não perdoa, estamos cercados pela mensagem de que a felicidade está em coisas novas, tecnológicas, caras. Crianças não têm maturidade para discernir as mentiras que a mídia conta. Não fazem ainda distinção entre ficção e realidade e, embora não seja responsabilidade só dos pais, nos vemos praticamente sozinhos ao tentar proteger nossos filhos de tais “valores” distorcidos.

Não pode ser da boca pra fora, primeiramente, precisamos crer no que fazemos como algo recebido com amor e gratidão, mesmo sendo simples e imperfeito, para depois botarmos a mão na massa. Até quem não tem muito jeito pro artesanato ou pra cozinha pode se arriscar: a inocência e o carinho dos pequenos viram o acabamento e  tempero perfeitos! Se falta inspiração, a internet é uma fonte sem fim de ideias práticas e divertidas, mas a melhor maneira de descobrir o que agradará ao seu filho é o observando e interagindo com ele! Desliga a TV, solta o celular, dá uma volta no quarteirão, senta no chão do quintal, no hall do prédio e ouve! Escuta o que ele tem a dizer, o que ele gosta e mãos à obra!

Alguns exemplos do que já aprontamos aqui em casa para inspirar vocês:

1. Jacaré de papelão:

Screenshot_2015-06-17-22-40-39-1

2. Massa de modelar caseira:

Screenshot_2015-06-16-21-43-26-1

3. Boliche de garrafa pet:

Screenshot_2015-06-16-21-43-41-1

4. Jogo com fita crepe e bolas de páginas de revista:

Screenshot_2015-06-16-21-43-11-1

Não esqueça de convidar as pequenas mãozinhas para participarem do processo de construção dos brinquedos e brincadeiras, será só alegria e diversão!

Mãe do criativo Benício e do irresistível Danilo, Laís é, em tempo integral, pirata, dinossauro, assistente de mágico e inventora de brincadeiras. Nas horas vagas, a professora de português é letra, ponto a ponto, objetiva. Fascinada por tudo que envolve educação parental, disciplina positiva e criação com apego, aprende todos os dias, com seus meninos, como ser uma pessoa melhor e divide suas experiências no instagram @desplanos. Cristã.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *