É com muita alegria que comemoro mais um dia do nutricionista! É uma profissão maravilhosa, que me trouxe muita alegria, aprendizado, amigos e saúde, claro!

Hoje fizemos uma live com as perguntas que vocês nos enviaram nas nossas redes, com o intuito de tirar as dúvidas e responder as perguntas mais frequentes sobre alimentação! Escolhi os mais comuns e listei dividido em 2 partes. Abaixo temos as dúvidas mais comuns em relação a alimentação para bebês:

  • Posso dar comida ao meu bebê de 4 meses?

Não. O bebê de 0 a 6 meses está com seu sistema imunológico, gástrico e intestinal sendo amadurecido, então qualquer alimento que seja oferecido nessa etapa, antes que o bebê esteja preparado, pode gerar desconfortos, alergias e riscos (diarreia, prisão de ventre, gases, etc)

  • Como faço a introdução alimentar?

Completos os 6 meses, o primeiro passo é introduzir as frutas. Como tive 3 anos de experiência em escolas e com mais de 200 alunos pra acompanhar, cada um reagia diferente, eu passei a orientar que seja introduzida 1 fruta por vez, revesando entre 1 que solte e outra que prenda o intestino. Uma vez que não é detectada nenhuma reação alérgica, pode dar várias opções, e preparar papinhas de mais de um tipo de fruta.

Importantíssimo: a melhor forma de servir a comida é amassada e não triturada, viu gente?! Só se tritura se o alimento tiver sementes, e isso acarretar risco de engasgos (como é o caso da goiaba).

  • O que fazer se meu bebê não aceita papinha salgada?

Insistir. Claro que estamos falando de um bebê, ele não vai lidar muito bem com a lição da insistência, ele pode se aborrecer um pouco e chorar, por isso a insistência deve ser suave, e não uma obrigação. Se ele aceitou 5 colheradas, no dia seguinte ele aceita 7, depois 10, e por aí vamos ganhando, na insistência, paciência e persistência. E, claro, pode ser que o tempero esteja muito forte, talvez seja hora de mudá-lo.

  • Que temperos posso colocar nas papinhas salgadas?

Tempero de papinha “salgada” (que leva esse nome pra diferenciar da papinha de fruta, que é doce naturalmente) na verdade, não leva sal. Sim, os próprios temperos que usamos podem ser considerados salgados, dessa forma evitamos que a criança acostume-se a uma alimentação tão salgada que não seja bom para sua saúde a curto e longo prazo. Coloque um pouco (bem pouco) de alho, cebola, salsa, coentro, cebolinha, alecrim… é bom que o bebê veja cores na comida, pois assim, ela será incentivada a comer um prato colorido e com vegetais variados desde sempre!

  • Meu filho não come verdura – o que fazer?

Persistir, e procurar explicar para ele a importância daquilo no corpo dele. Meu pequeno não costumava ter paciência de comer banana, e sempre que era para tomar o suco de fruta após a refeição, ele muitas vezes deixava, pois já não sentia fome. Então, ele passou a sentir câimbras. Ao conversar com ele sobre a importância do potássio, que encontramos na banana e no suco de laranja, e ao comê-las, eu apontei: ele parou de ter as câimbras que tanto temia. Isso foi importantíssimo pra que ele se mostrasse mais aberto a provar alimentos novos, verduras e legumes.

Formada em Nutrição, divide o tempo de trabalho entre a clínica, alimentação escolar e fotografia! É mãe de um super herói, blogueira desde a adolescência, meio nerd, adora música, moda, séries e filmes.

1Pingbacks & Trackbacks on Especial: Dia do Nutricionista (Parte I)

  1. […] É com muita alegria que comemoro mais um dia do nutricionista! É uma profissão maravilhosa, que me trouxe muita alegria, aprendizado, amigos e saúde, claro! Hoje fizemos uma live com as perguntas que vocês nos enviaram nas nossas redes, com o intuito de tirar as dúvidas e responder as perguntas mais frequentes sobre alimentação! Escolhi […] … … Ver artigo completo no Blog […]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *