DSC_6787

Sabe, ter criança entre 02 e 03 anos em casa é a melhor coisa do mundo. Na verdade, ter criança em casa, independente da idade, é a melhor coisa da vida.

Tenho uma negona de 02 anos e meio que é uma espoleta e está numa fase que quer bater papo, quer falar sobre tudo, mesmo que da maneira dela. Mesmo que muita coisa ela tenha que nos ensinar a entender. E como ela se esforça… Tem muita paciência comigo e com o pai, é, porque é ela que nos ensina, nos ensina seu dialeto, seus plurais, sua regras gramaticais. Muitas vezes nos esforçamos tanto e quando entendemos, somos recompensados com abraços, beijos, gritinhos e aplausos. É uma festa!!

Todo dia aprendemos um pouco. Criança é muito inteligente!! As associações que fazem com as palavras e imagens que vêem são fantásticas. E sai cada coisa, por exemplo:

Estávamos passeando na rua e ela viu um cachorro, logo falou: um au au!, Mais a frente, outro cachorro se junta ao primeiro e ela presume: dois au aís!

O papai dela sozinho é: um papai! Se eu estou com ele são: dois papaios!!

A gramática é própria e usada como ela quer. Não acho que essa seja uma hora para correção, talvez alguns professores, especialistas em gramática ou fonoaudiólogos não gostem muito, mas para mim, como mãe e também uma admiradora dos conceitos linguísticos, acho cedo para corrigi-la. Ela está acostumando, testando seu sistema fonador, montando um quebra cabeça com as palavras e imagens que ela conheceu, aprendeu nesses dois anos. É tudo novo, nesse momento quem tem que aprender sou eu.  Deve ser complicado querer explicar o mundo, sem conhecer muito das coisas que lhe são apresentadas diariamente. Tudo tem nome, as cores não são só visão; as flores não são só sentidos; o chão não é só toque, a musica não é só som. Tudo tem nome: azul, amarelo, verde, rosa, margarida, orquídea, duro, áspero, liso, alto, baixo, agudo…Tudo tem nome. E todo dia é uma nova descoberta.

Por que o travesseiro não pode cheirar a macio??

O carro ter olho mau?

O abraço ter a cara do natal??

Por que não podemos sentir na perspectiva dos pequenos e entrar no mundo deles? Tudo faz sentido agora. Já tinha esquecido como ser criança é divertido e simples.

imagem tirada do photl.com
imagem tirada do photl.com

Fico encantada com essas descobertas dela. E tento facilitar as coisas da seguinte forma:

  • Não falo no diminutivo com ela, nem usando palavras erradas porque é bonitinho;
  • Deixo-a falar, sem tentar adivinhar ou apressá-la. Sem pressa ela vai formando suas frases;
  • Estimulo-a usar palavras e não gestos;
  • Geralmente, quando conversamos estamos na altura dela, ou seja, ajoelhados ou sentados com ela;
  • Acho que a melhor parte é escutar, dar ouvidos aos pequenos. Como eles vão se interessar por falar, se não são ouvidos?

Assistente social formada pela UFPB, ama sua profissão, mas tem outras paixões e escrever é uma delas. Por isso, cursou Letras até o sétimo período, mas parou quando Maria Paula nasceu e se viu renascendo como gente, como ser vivente.
É casada, trabalha, estuda e é mãe apaixonada.
Ama poemizar a vida, transformar sentimentos em palavras e é melhor escrevendo que falando.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *