child-228412_640

Olá meninas,

O assunto hoje é um pouco delicado. Algumas mamães, ou aspirantes a mamãe, só em olhar o título já fizeram um sonoro “Viiiiixe”. O uso da chupeta é polemico sim. E eu aqui não quero entrar no mérito de quem está certo ou errado. Vou apenas, dar meu depoimento, baseado na minha experiência com o caso (rs).

Sou mamãe de um rapazinho lindo, chamado Gabriel de 4 anos. Depois da maternidade eu mudei muito minha opinião sobre certos assuntos. Sabe a expressão “Pagou a língua?” Pois bem…eu paguei em diversos assuntos… E um deles foi o uso da chupeta.

Não sei se por trauma, ou implicância mesmo, mas, quando estava grávida que falaram em chupeta eu torcia logo o nariz. Trauma por que eu fui “desmamada” da chupeta de uma forma meio traumática: minha mãe disse que um porco comeu ela e não tinha como comprar outra, já que estávamos na fazenda do meu avô… Acho que tinha uns 3 anos…não lembro bem. Mas acho que isso ficou no meu subconsciente, e talvez tenha contribuído para minha posição contra o uso da chupeta. Enfim, Biel nasceu, e eu nem cogitei a inclusão do item chupeta no enxoval. As noites passaram…os dias… E eu não sei se era só comigo, mas Biel chorava taaaaantoooo quando dava 18h da noite…Era um choro constante, até altas horas da madrugada. Só se acalmava quando colocava no peito. Ainda hoje não sei o que era…E não, não era fome (rs). Ele fazia o peito de chupeta mesmo, como diria minha mãe.

Meio zumbi, sem dormir por dias, acabei cedendo aos apelos de minha mãe e sogra (e tias, e vizinhas…) e comprei a tal chupeta. Comprei pois queria provar que elas estavam erradas.

E claro, paguei a língua. Sempre que Biel chorava e não era fome, dor, xixi e afins, eu tacava a chupeta e ele se acalmava.

Feliz da vida por meses, comecei a me preocupar com o momento de tirar a chupeta. Tinha medo de prejudicar a fala, a dentição, de traumatizar.

O tempo passou. Já com um aninho e três meses a dentição já era bem aparente. E comecei a perceber que ele estava usando a chupeta mais para coçar a gengiva. E os outros dentinhos acabavam rasgando a dita cuja. Com medo de entrar bactéria no bulbo, trocava quase todo dia. Estava indo á falência. Até que decidi agir. Conversei com e disse que ali dentro tinha muitos bichinhos que faziam mal pra ele. Eu propus também uma troca. A chupeta por um brinquedinho novo. Nada caro, aqueles de plástico mesmo. Quando ele pedia, reforçava que ele já estava um rapaz e que chupeta era coisa de bebê. Essa época coincidiu exatamente com o desfralde dele. Que também não foi nada forçado..Ele ainda pediu alguns dias pra usar a chupeta, mas lembrava dos bichinhos do dente e ele aceitava.

Pode parecer maldade. Também não sei se ficou trauma. Mas deu super certo pra mim.

Então é isso…claro que o que foi fácil pra mim, pode ser super complicado para outras mamães. Não existe manual de como fazer essas coisas. Mas até agora procurei sempre conversar com ele. Explicar sempre que peço para ele fazer algo novo. Também não sou uma mãe perfeita. Sou bem dura as vezes… Mas sempre tento aprender com meus erros.

Espero que tenham gostado e quem tiver depoimento sobre esse assunto, manda pra gente – contato@maedoano.com.br

Beijos e até a próxima.

Contribuição do leitor. Saiba como participar do blog: http://www.maedoano.com.br/participe-do-blog/

Comments are closed.