Foto: Renata Luna
Imagem: Renata Luna/Mãe do Ano

Pessoal, estou aqui hoje para divulgar para vocês uma causa muito importante: a campanha Põe No Rótulo. Como profissional de Nutrição, eu já tinha notado um aumento significativo nos casos de alergias alimentares infantis no consultório nesse último ano. Como mãe, eu já passei pela péssima experiência (mais de uma vez) de um quadro de alergia alimentar em meu filho e quando vi essa campanha, não consegui ficar de fora.

A mãe é um ser humano muito julgado. Independente de ser mãe de uma criança livre de certas características, mãe de uma criança com necessidades especiais, de uma criança epiléptica, diabética… ou a mãe de uma criança alérgica. Perdi a conta das vezes que as mães chegam no consultório com a família inteira e no final da consulta me dizem: “Eu trouxe todo mundo porque não adianta o quanto eu recomende, eles dizem que é frescura, nóia, que sou neurótica, exagerada e super protetora. Eles precisam ouvir a real gravidade da alergia diretamente de um profissional”.

A alergia alimentar ainda é um campo muito difícil de caminhar, especialmente pelo grau de sensibilidade entre uma pessoa e outra. Enquanto alguns só tem alergia por ingestão, outros sequer podem tocar no alimento. Alguns apenas espirram, tossem ou se coçam levemente. Outros tem uma reação grave imediata, com choque anafilático, edema de glote e diversos outros sintomas com alto risco de morte.

É onde entra a campanha. A maioria dos casos de hospitalização por alergia alimentar é causada pela ingestão acidental de algum alimento que contém “leves traços” de alérgenos, como ovo, noz, soja, castanha, leite, peixe, crustáceos ou amendoim. Os rótulos dos alimentos já deveriam ter todos os ingredientes utilizados para a produção daquele produto, do contrário, qualquer pessoa – criança ou adulto – poderá ter sérios problemas de saúde por conta disso.

Não é algo difícil de se fazer, certo? Eu garanto que se todos os responsáveis pelas empresas alimentícias tivessem filhos com alergias alimentares em casa, eles teriam o mesmo pensamento que nós temos. Precisamos saber o que nós e nossos filhos estamos ingerindo. Sim, nós mães também precisamos dessa dieta restrita, pois tudo que ingerimos irá passar para nosso leite se estivermos amamentando.

Fica aqui então o meu apoio pessoal e profissional, e o apoio da Equipe Mãe do Ano a essa causa. Galera… #poenorotulo!

A quem interessar aqui estão os canais do #poenorotulo

Facebook: https://www.facebook.com/poenorotulo
Twitter: @poenorotulo
Instagram: @poenorotulo

Formada em Nutrição, divide o tempo de trabalho entre a clínica, alimentação escolar e fotografia! É mãe de um super herói, blogueira desde a adolescência, meio nerd, adora música, moda, séries e filmes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *