epope

A Epopeia ONG iniciou nesta semana uma campanha de financiamento coletivo para adquirir uma sede. A instituição, que oferece atividades educacionais para crianças e adolescentes de 9 a 16 anos, depende exclusivamente de doações e voluntariado para funcionar e vem enfrentando dificuldades para dar continuidade ao seu trabalho. “Hoje o maior desafio é manter a constância, o que é fundamental para o desenvolvimento de qualquer atividade educacional, porque a nossa sede é alugada e estamos sempre com a incerteza da permanência”, explica Isaú Paulino, presidente da ONG.

Atuando há cinco anos na comunidade das Laranjeiras, no bairro José Américo, em João Pessoa, a instituição tem desenvolvido suas atividades em sedes alugadas. Até o momento, três casas já abrigaram a ONG. Segundo a vice-presidente, Jadely Clementino, a necessidade de mudar de endereço, que surge sempre que o proprietário requisita o imóvel, gera vários problemas. “Nós já temos uma integração com a comunidade e é isso que nos mantém funcionando, apesar das interrupções com as mudanças, mas as dificuldades de reestruturar tudo são imensas”, conta Jadely. Ainda segundo ela, a cada mudança há a necessidade de encontrar outro imóvel em condições mínimas para receber as crianças e de realizar pequenas reformas e ajustes que possibilitem reiniciar as atividades. “Tudo isso leva tempo. Da última vez estivemos fechados por um semestre inteiro. É muito tempo”, conclui a vice-presidente.

Algumas das crianças atendidas pela instituição participam das atividades desde a fundação e são elas quem mais sentem a interrupção do trabalho. “Muitas das crianças vinham nos procurar para saber quando voltaríamos. Alguns pais também vêm, porque muitos só se sentem tranquilos de ir para o trabalho sabendo que os filhos, no horário oposto ao escolar, estarão conosco”, relata Eliúde Santiago, fundador e diretor financeiro. A ONG, que tem como lema: “acreditar, educar, transformar”, oferece aulas de leitura e produção textual, matemática, inglês, espanhol, teatro, teatro de bonecos, empreendedorismo e cidadania, além de oficinas e ações educativas mais pontuais. Todas as atividades são desenvolvidas por voluntários que se dispõem a ministrar as aulas e cuidar dos mais diversos afazeres para manter a instituição em funcionamento. “O nosso trabalho tem uma lógica inversa, porque aqui nós trabalhamos para doar tempo, recurso, empenho, amor. Sem essa doação, essa entrega, tanto de quem doa para que possamos pagar as despesas operacionais mínimas, tanto como dos voluntários que doam seu tempo, seu conhecimento e seu carinho, não existiríamos”, explica o presidente Isaú Paulino.

epopeia

A campanha

Depois de interromper as atividades por três vezes, em razão da busca de uma nova sede, a ONG se viu novamente precisando procurar um novo prédio. A sede atual, onde a Epopeia reiniciou suas atividades há pouco mais de 3 meses, foi vendida e o novo dono não quer renovar o contrato de aluguel, que vence em dezembro. Com mais uma dificuldade à vista, os voluntários decidiram tentar conseguir arrecadar o dinheiro para a aquisição de uma sede própria. “Nós vimos que não tinha como continuar com essa incerteza e decidimos transformar esse desafio em oportunidade. Muita gente conhece, confia e colabora com o nosso trabalho. Resolvemos tentar aumentar essa rede de amigos e apoiadores para que, com um pouco de cada um, pudéssemos garantir a continuidade do nosso trabalho”, conta Luziane Lima, voluntária e coordenadora da campanha.

Organizada em uma das plataformas de financiamento coletivo virtual mais conhecidas do país, o Kickante, a campanha objetiva conseguir, no mínimo, R$ 176 mil, até o dia 8 de dezembro, para a aquisição de uma nova sede. O valor foi definido com base na média de preços de imóveis na comunidade (somado a taxa da plataforma), mas a expectativa é superá-lo, para que, além de adquirir o espaço, seja possível realizar reformas e adequá-lo a um espaço educativo. “Todos esses anos nós temos trabalhado com poucos recursos, utilizando materiais que não são adequados, ocupando espaços improvisados e, mesmo assim, temos observado uma mudança efetiva no comportamento e na autoestima das crianças. Se nós conseguíssemos adequar esse espaço e trabalhar com os recursos necessários, eu me pergunto onde poderemos chegar e posso dizer que é ainda mais longe”, relata Luziane.

A campanha que já recebeu o apoio de diversos artistas paraibanos, está baseada nas redes sociais da ONG e é possível saber mais acessando as páginas: http://www.facebook.com/epopeiaong, http://www.instagram.com/epopeiaong e a página da campanha no kickante (https://www.kickante.com.br/campanhas/lar-doce-lar-epopeia), onde é possível contribuir com qualquer valor a partir de R$ 20.

Serviço:
Epopeia Ong
hashtah da campanha: #UmaSedeParaEpopeia

Mãe de Aécio e esposa de Renato, publicitária, especialista em Criação Visual e Multimídia, trabalha com marketing e comunicação e, além do Mãe do Ano, é responsável pelo Roteiro Baby JP, que divulga a programação infantil de João Pessoa, é presidente da Associação das Mulheres empreendedoras da Paraíba, tem uma banda de músicas infantis – a Catavento Colorido – e desenvolve atividades para crianças através da Colmeia Projetos Criativos.

1Pingbacks & Trackbacks on Campanha de financiamento coletivo visa adquirir uma sede para a Epopeia ONG