Tive uma experiência desastroza e traumatizante quando meu filho tinha uns 4 meses:

Eu estava sozinha em casa e fui tentar dar o banho de balde (pq tinha acabado de comprar um balde) para saber se Aécio ia gostar ou não. Ai, deixei ele no berço, limpei o balde (até com álcool – sim, eu era meio neurótica qnd ele nasceu, por culpa da minha mãe), coloquei um pouco de água, verifiquei a temperatura para ter certeza que estava morninha (pq ele nunca gostou de água muito quente) e pronto!! Lá venho eu com o pequeno toda feliz, achando que ia ser o máximo!

Coloquei ele dentro do balde que estava em cima do balcão da pia e ele ficou lá… bem encolhidinho, só com a cabeça de fora, com cara de quem estava adorando!!

De repende, ele puxa o ar como se tivesse tentando respirar sem conseguir. Eu já achei que ele estivesse engasgado, o puxei rapidamente e tirei do balde. Tadinho.. Ee teve um sust e ariu o berreiro.

Eu, claro, desesperada, comecei a chorar junto.. Affffff

Alguns segundos depois, me dei conta de que não tinha acontecido nada. Não sei até hj exatamente o que ele fez, só sei que fiquei desesperada, dei um susto nele e fiquei super assustada também.

Depois de muito tmepo, quando ele já estava grandinho, eu resolvi tentar novamente e não teve problema, pelo contrário, ele ainda adora (com 1 anos e 2 meses). E eu, já sei bem como lidar com ele e o balde! rs

Mãe de Aécio e esposa de Renato, publicitária, especialista em Criação Visual e Multimídia, trabalha com marketing e comunicação e, além do Mãe do Ano, é responsável pelo Roteiro Baby JP, que divulga a programação infantil de João Pessoa, é presidente da Associação das Mulheres empreendedoras da Paraíba, tem uma banda de músicas infantis - a Catavento Colorido - e desenvolve atividades para crianças através da Colmeia Projetos Criativos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *