mentir

É crianças mentem! Às vezes, intencionalmente, outras por medo de punição, outras por fantasia, dependendo da idade, mas elas mentem. No que seu pequeno conta pode ter uma dose de fantasia, uma versão alterada de fatos para se autopreservar, talvez até uma versão de como ele queria que as coisas tivessem acontecido. Claro que isso não é regra, mas faz parte do desenvolvimento da criança o uso da imaginação, da fantasia. Até cerca de cinco anos a criança não faz muita distinção entre fantasia e real. A imaginação é a base do pensamento lógico que o adulto tem, por isso ela é tão importante para o desenvolvimento normal da criança. A partir do seis anos a criança ainda brinca com a imaginação, mas com menos intensidade, já começa a fazer distinção entre real e imaginário.

maroca no celular

Essa semana, Maroca contou sua primeira “mentirinha”. Dormiu e fez xixi no colchão e quando acordou, eu brincando perguntei: quem fez xixi na cama? E ela respondeu: “você mamãe!”. Isso acionou uma sirene de alerta em mim. Caramba, o que fazer? Repreender? Ficar brava? Optei por conversar com ela. Trouxe-a para pertinho de mim e como ela ainda estava preguiçando de sono, ficamos um tempo juntinhas, agarradas e conversei bastante com ela. Disse que sabia que ela tinha feito o xixi, pois era ela quem estava deitada lá e estava com a roupinha molhada; que “mamãe” estava enxutinha. E que não ia ficar brava com ela, que entendia que estava dormindo e que essas coisas acontecem; que ela não precisava culpar ninguém quando ela mesma fez algo. Depois de toda a conversa perguntei de novo: quem fez o xixi? E ela disse: “eu, mamãe!”. Fiquei feliz porque ela pareceu entender direitinho o que falei. Sei que ela é muito pequenininha ainda e falou intencionalmente, não com o propósito de mentir. Talvez, tenha ficado constrangida com minha pergunta, pois, normalmente, ela não faz isso. Sei que teremos muitas conversas durante nossas vidas, mas essa foi à primeira, que tinha a intenção de deixar uma mensagem moral, mesmo ela sendo tão pequenininha.

Algumas crianças começam a mentir antes dos 2 ou 3 anos. Quando chega aos 4, a maioria diz mentiras ocasionais. Isso parece se desenvolver mais ou menos ao mesmo tempo que outros sinais cognitivos, uma consequência da sofisticação desse crescimento, segundo estudos da Universidade McGill, de Montreal ( Canadá). Ou seja, mentirinhas, em um período, são normais entre os pequenos, mas os pais têm que estarem atentos aos transtornos que isso pode causar ou mesmo, ao que pode ter por trás de uma mentira. Por exemplo: uma criança que mente para não ir a escola pode está sofrendo bullying ou algo parecido. Se uma criança chega com algo em casa e diz que um coleguinha lhe deu, o que custa verificar na escola ou com os pais do amiguinho?

Aos pais cabe a observação para que nada saia do controle, além do bom e velho exemplo, já que muitas vezes os pequenos estão mais ligados no que fazemos do que no que falamos. Do que adianta pregar a honestidade e a verdade, se é normal mentimos na frente de nossos filhos ( dizemos que não estamos em casa, quando não queremos falar com uma pessoa; dizemos que adoramos um presente quando na verdade, o odiamos; mentimos que estamos em um lugar estando em outro), os pequenos observam tudo e vão usar das mesmas artimanhas.

Assistente social formada pela UFPB, ama sua profissão, mas tem outras paixões e escrever é uma delas. Por isso, cursou Letras até o sétimo período, mas parou quando Maria Paula nasceu e se viu renascendo como gente, como ser vivente. É casada, trabalha, estuda e é mãe apaixonada. Ama poemizar a vida, transformar sentimentos em palavras e é melhor escrevendo que falando.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *