Foto por: Grunert Thomas
Foto por: Grunert Thomas

Antes de nascer, as crianças passam nove meses nadando no líquido amniótico. Nada mais natural do que dar continuidade a essa experiência depois do nascimento e levar os bebês para aulas de natação. Nadar não só ajuda no desenvolvimento motor infantil, mas também propícia mais segurança à criança e um momento importante na interação pais e filhos.

Uma criança pode aprender a nadar antes de aprender a caminhar, isso se ela for incentivada desde cedo. Crianças que aprendem a nadar conseguem coordenar mais o movimento motor do que as que não aprenderam. Qualquer bebê saudável pode começar a aprender desde cedo, a altura  recomendada é a partir de seis semanas,  o mesmo tempo recomendado para as mães, para não correrem o risco de pegar uma infecção, caso ainda não estejam recuperadas do parto. Se você fez uma cesariana, ou ainda tem pontos do parto, consulte seu médico ou obstetra para saber quando é aconselhável entrar na piscina. Mas a partir de 4 semanas o bebê já pode ser levado para a água pelo pai.

Os bebês podem ser treinados desde cedo a trancar a respiração debaixo de água. Geralmente,  o treinamento se baseia em palavras de comando, onde a mãe ou ou treinador sempre dizem as mesmas palavras antes de mergulhar a criança. Se a palavra de comando for: “Joana, preparar, vai.” Você entoará este comando antes de cada mergulho, assim a criança saberá o que vai acontecer e se prepara para prender a respiração. Este tipo de exercício pode começar fora da piscina. Inclinando o bebê um pouco para trás e utilizando um copo de água morna a ser derramado sobre o rostinho do bebê. Sempre entoe a frase de comando antes de agir, e dê uns segundos antes de derramar a água para o bebê se preparar. Espere a água escorrer completamente pelo rosto. Nunca treine quando o bebê estiver chorando.

Desta maneira o bebê aprenderá uma das coisas mais importantes da natação: o controle da respiração. Pratique somente em ambientes seguros e adaptados, sob a vigilância de um profissional.

Com a prática desde cedo as crianças se tornam mais seguras perto da água, elas entendem as diferenças entre águas profundas e rasas e têm menor propensão ao perigo. Este tipo de aprendizado deveria ser compulsório, principalmente para as pessoas que vivem no litoral ou que frequentam muito praias e lagos. Nas aulas os bebes aprendem a virar e a flutuar. Estratégias muito úteis e que podem prevenir inúmeros casos de afogamento.

Outro aspecto positivo da prática é que as aulas para bebês promovem a socialização desde cedo. O envolvimento com os pais e outras crianças melhora as habilidades sociais e a emotividade do bebê.

Informe-se nos clubes e universidades da sua cidade, você deve encontrar professores dedicados para o ensino da natação para bebês!

Mãe de Aécio e esposa de Renato, publicitária, especialista em Criação Visual e Multimídia, trabalha com marketing e comunicação e, além do Mãe do Ano, é responsável pelo Roteiro Baby JP, que divulga a programação infantil de João Pessoa, é presidente da Associação das Mulheres empreendedoras da Paraíba, tem uma banda de músicas infantis – a Catavento Colorido – e desenvolve atividades para crianças através da Colmeia Projetos Criativos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *